Luísa leva Poliana para quarto sujo e empoeirado 😯 Novela “As Aventuras de Poliana”=> 16/5/18

Ei! Vem conferir o resu’micro diário do primeiro capítulo da novela “As Aventuras de Poliana” do Sbt, que será exibida às 21h 😉

•~•

Capítulo 001=>Quarta-feira, 16 de maio/18

•~•

Nos bastidores do teatro mambembe montado em frente à uma paróquia na cidade de Quixadá, no Ceará, Poliana conversa com sua mãe, Alice, e com o pai, Lorenzo, artistas que formam a Trupe Vagalume. A pequena passa o texto que sonha apresentar um dia ao lado dos pais no palco. Mais tarde, Lorenzo inicia a apresentação de uma história aonde abordará o jogo do contente. Alice se junta ao esposo e canta para ilustrar a história de esperança que encanta o público. A voz da mulher atrai a atenção de João, que acaba sentando ao lado de Poliana. Josefa, mãe do garoto, aparece e ele atravessa o palco correndo. Poliana segue o garoto. Nos bastidores, os dois se apresentam e ela conta que sua família está sempre em lugares diferentes com a trupe. Josefa logo aparece preocupada e leva o garoto embora para evitar que o marido dê uma surra em João. Poliana explica aos pais o motivo de ter atravessado o palco durante a apresentação. Alice sente um mal estar, mas diz que já está bem. Em casa, no sertão, Tião diz ao filho que ele não pode ficar parando para escutar música e por isso irá trabalhar dobrado. Alice, Lorenzo e Poliana estão na estrada no carro com o palco itinerante para se apresentarem em novos destinos. Um vendedor ambulante oferece para João e a mãe livros que está vendendo. O garoto fica empolgado e pergunta sobre o violão do homem. Mesmo com pouco dinheiro, o homem decide entregar o violão para o garoto. João tenta tocar no instrumento a canção que viu Lorenzo se apresentar no teatro. Tião vê o filho com o vilão, arranca o instrumento de forma rude e faz ameaças. Alice, Lorenzo e Poliana param em uma praia. Enquanto Poliana se diverte, Alice diz para Lorenzo como será se ela não poder ver a filha crescer. João pede à mãe para irem embora, só os dois, para São Paulo. Josefa diz que não pode deixar Tião de lado, mas que apoia a ida do filho atrás dos sonhos. Poliana estreia como atriz ao lado dos pais em uma grande apresentação. Lorenzo acorda a filha, que dorme no carro. A garota percebe que a apresentação foi apenas um sonho. Poliana conta sobre o sonho para o pai e diz que foi muito bom sentir a mão tão próxima. Lorenzo conta que também sente muita falta de Alice e lamenta que ela tenha falecido tão cedo. O artista pergunta para Poliana se ela gostaria de conhecer os tios, irmãos de Alice, em São Paulo, como sempre sonhou. Poliana fica feliz com a notícia. Lorenzo pede para a filha prometer jamais deixar de lado o jogo do contente que aprendeu com a mãe. Poliana diz que ama o pai e garante que sempre levará com ela esse jogo. Enquanto isso, no sertão, Josefa leva João com seu velho violão debaixo dos braços até a traseira de um caminhão pau de arara que o levará até São Paulo. A despedida entre mãe e filho é emocionante, mas cheia de esperança para que o filho realize seus sonhos. Em São Paulo, o mordomo Antônio avisa Luísa que a sobrinha dela está para chegar. Luísa manda que ele vá junto com a faxineira Nanci buscar a garota na rodoviária, pois ela não tem tempo para isso. Poliana fica encantada com o tamanho da mansão. Emocionada ao conhecer a tia, Poliana tenta abraçá-la, mas Luísa a impede. Rude e seca, Luísa leva Poliana até o pior quarto da mansão, que estava fechado, sujo e empoeirado. Poliana, mesmo assim, fica encantada com tudo. Luísa impõem regras rígidas para a garota, que responde com sorriso e gratidão. Nanci pergunta para a garota como ela consegue ver o lado positivo de tudo a todo tempo. Poliana conta que aprendeu com os pais ainda quando era muito pequenina a jogar o jogo do contente. Naquela época a garota havia ganho uma humilde boneca de pano de seus pais e questiona o fato da boneca não ter nem uma das pernas, Alice e Lorenzo ensinam Poliana a ver o que de incrível era ter essa boneca e a partir desse momento como se joga o jogo do contente. A garota pergunta para Luísa sobre seu outro tio, Durval. Luísa diz que o irmão mora longe, na China, e que não possui mais contato com ele. Em outro momento, Luísa diz para Antônio que não quer que Poliana saiba nada sobre Durval, as meninas e o passado da família. Na padaria “Ora Pães Pães”, Durval pede para a filha Lorena avisar a irmã, Raquel, que ele precisa de ajuda. Jeferson e Vinícius, funcionários de Durval, conversam sobre terem conseguido que o patrão deixe eles apresentarem seus sambas pela primeira vez no local. João chega na comunidade Bem-Te-Vi, em São Paulo. Com fome, o garoto entra na padaria. O menino pega uma baguete, morde e sai correndo. Marcelo diz que pagará pelo pão. Durval reconhece o amigo e diz que voltou de Portugal e que abriu essa padaria há pouco tempo. Em um terreno abandonado, João se senta para comer a baguete. Um cachorro começa a latir. O menino tenta dar um pedaço, mas o cachorro abocanha o pão inteiro e sai correndo, deixando João frustrado. Poliana encontra uma caixa cheia de fotografias e pergunta para Luísa se uma daquelas imagens é de seus avós. Luísa reclama de Poliana mexer nas coisas e proibi a garota de citar o nome do pai. Mirela conversa com a avó, Dona Branca, que faz chantagens emocionais com a neta. Nanci, que também é prima de Mirela, vai conversar com a avó e diz que está pensando em sair da cidade devido os estudos. No parque, Poliana faz carinho no cachorro de Sr. Pendleton e pergunta se ele sabe aonde fica o colégio Ruth Goulart, mesma escola que sua mãe lhe contou ter estudado quando pequena. Lorena e Mário ficam surpresos que Poliana conseguiu falar com o homem, que nunca conversa com ninguém. Após passar pela Avenida Paulista, Poliana chega ao colégio Ruth Goulart e vê várias crianças se apresentarem artisticamente. Filipa e Yasmin caçoam de Poliana ao dizer que para estudarem na escola ela precisa subir em cima do piano e dançar balé. Inocente, Poliana faz o que as meninas dizem e ao começar sua performance imagina como se estivesse em um lugar encantado. A professora de balé Débora chega no teatro e fica brava ao ver a menina em cima do piano. Os demais alunos fogem. Débora diz que Alice e Luísa, respectivamente sua mãe e tia, estudaram no colégio e por isso queria muito participar de uma audição para estudar lá. Débora revela que estudou com Luísa quando era criança e afirma que é muito difícil entrar no colégio. Anoitece e Poliana está perdida e triste em São Paulo até que escuta uma canção familiar. Ao seguir o som, se depara com João tocando violão. Os dois se reconhecem, mesmo após tanto tempo, e ficam felizes. João tenta ajudar Poliana. A menina diz que lembra apenas do nome do colégio que fica perto de sua casa. João conhece a região e lhe acompanha. No caminho, João conta que foi para São Paulo sozinho e que dorme na rua. Poliana ensina para João o que é e como jogar o jogo do contente. Luísa vai com seus empregados em busca de Poliana. Antônio alerta que a menina perguntou mais cedo sobre a escola Ruth Goulart e que acha que Poliana pode estar lá. João e Poliana chegam no colégio, onde está acontecendo uma apresentação da diretora Ruth para os alunos e professores da instituição. Poliana pega o microfone sem ser anunciada começa a falar a sua história e sonho de estudar ali para todos presentes no auditório.

(*) edição sujeito a alteração de data e conteúdo

Autor: Dayse

Sou apaixonada pela vida. Apesar de não ser desse meio, gosto de tudo que se refere ao entretenimento na tv. Acho que essa é a graça. A diversão é completa, as variedades são muitas. Vamos compartilhar esses momentos?? E viva a vida!!